Encontro entre o passado e o presente em Santos

Encontro entre o passado e o presente em Santos

Encontro entre o passado e o presente em Santos

Nenhum comentário em Encontro entre o passado e o presente em Santos

SELEUCIA FONTES – publicada no Jornal Stylo, 16/06/2016 – Palmas-TO.

TURISMO – A cidade moderna e rica preserva sua história e convida a uma visita

Santos, no litoral paulista, carrega consigo privilégios conquistados por poucos municípios brasileiros. Possui o maior complexo portuário do país e, quando o assunto é renda familiar está em segundo lugar entre as cidades do interior com maiores ganhos, 60% acima da média nacional, de acordo com recente estudo da empresa Geofusion. Para nós, amantes do turismo, a região também convida ao lazer e a um delicado encontro com nossas raízes históricas.

Museu Pelé | Foto: Zezinha Carvalho

Museu Pelé | Foto: Zezinha Carvalho

A fundação de Santos é atribuída ao famoso Brás Cubas, explorador português que, em 1536, recebeu a mais vasta sesmaria do litoral da Capitania de São Vicente. Em 1543, ele instalou às margens da baía a Casa de Misericórdia de Todos os Santos para abrigar doentes dos navios que chegavam da metrópole. O hospital por transferido após um desmoronamento, mas ainda é possível ver o que restou. O povoado foi elevado à categoria de vila em 1545 e cinco anos depois, a coroa portuguesa criava a Anfândega de Santos. Santos foi porta de entrada de jesuítas catequizadores e de saída para o ouro, o pau-brasil e outras riquezas.

Sobreviveu a ataques de piratas, alagamentos – solucionados somente após a construção de uma rede de canais de drenagem -, foi um dos centros do movimento abolicionista, elevada à categoria de cidade em 1839 e se ganhou status de centro turístico em 1910, com o início da construção de grandes hotéis.

Praia em São Vicente-SP | Foto: Arienar

Praia em São Vicente-SP | Foto: Arienar

Se a opção é visitar a região na alta temporada, que vai de dezembro a fevereiro, é bom se preparar para sair da rotina e conhecer inúmeras praias neste município e nas vizinhanças. Mas Santos também preserva um rico centro histórico e vários museus que podem ser visitados a qualquer tempo. Seguindo a chamada Linha Turística de Bonde, podemos vislumbrar construções do século 17. Pegue o bonde e faça, por R$ 6,50 (e meia para crianças, idosos, estudantes e professores), a partir da Estação do Valongo – que também merece uma visita -, um passeio de 40 minutos com guia de turismo.

Museu Pelé | Foto: Zezinha Carvalho

Museu Pelé | Foto: Zezinha Carvalho

Bem no ponto de partida dos bondinhos históricos também vale uma parada no Museu Pelé, local onde passado e presente se cruzam. Mesmo quem não gosta de futebol ou não se interessa pelas façanhas do “Rei” deve conhecer o prédio histórico que abrigou comércio, prefeitura e Câmara, ficou em ruínas e teve sua estrutura externa do século 19 já em ruínas restaurada, mas internamente recebeu uma roupagem contemporânea para abrigar a exposição.

Se passar uns dois dias visitando museus e igrejas seculares é a ideia, vale seguir para o Museu do Café, a Casa do Trem Bélico (Museu das Armas), o Museu de Pesca, o Museu de Arte Sacra.

De bonde também se vai a Monte Serrat. Em 1603 foi erguida a Capela de Nossa Senhora do Monte Serrat no alto de um morro. A santa acabou se tornando padroeira do município, após milagre a ela atribuído, quando a população, refugiada no monte, foi salva do ataque de piratas. Em 1927, foi inaugurado, no alto do morro, um edifício com terraços e mirante, onde funcionou por alguns anos um cassino. Para os mais animados, há uma escadaria com cerca de 400 degraus.

O Santuário de Santo Antônio do Valongo teve sua primeira missa celebrada em 1º de julho de 1640. A fachada é considerada um dos mais expressivos trabalhos barrocos do século 18. Possui valiosas obras de arte, como o Cristo Místico de Seis Asas e altar-mor giratório.

Já o Outeiro de Santa Catarina é o marco inicial da povoação da cidade. A primeira construção foi uma capela; entre 1880 e 1884, o médico italiano João Éboli mandou erguer uma casa acastelada, que foi reconstruída pela Prefeitura, foi sede da Fundação Arquivo e Memória de Santos e será trasnsformada em centro cultural.

Apesar de datar de 1945, a Basílica Menor de Santo Antônio do Embaré tem estilo neogótico, e sua origem remonta a uma pequena capela erguida em 1875 por Antônio Ferreira da Silva Jr., o Visconde do Embaré, entregue em 1913 aos frades franciscanos.

Os atrativos de Santos não param por aí. É grande a opção de restaurantes, passeios  marítimos e ecoturísticos. Tire um pouco de tempo e disposição, tire férias e conheça Santos!

Mendes Convention Center | Foto: Zezinha Carvalho

Mendes Convention Center | Foto: Zezinha Carvalho

SAIBA MAIS

– Para programar seus passeios, o visitante conta com a retaguarda de seis postos fixos de informações turísticas (PITs), Disk Tour 0800-173887 (todos os dias, das 9h às 19h), Facebook (Portal de Turismo de Santos) e das demais redes sociais (twitter, Google +, Instagram e YouTube) e do Portal de Turismo, trilíngue (www.turismosantos.com.br).

– Para completar, os três roteiros da Linha Conheça Santos (city tour, Morros e Zona Noroeste) oferecem um panorama do que a cidade tem de melhor. Mas há muitos outros itinerários a escolher – até temáticos.

Escreva um comentário


*

(Spamcheck Enabled)

Ir para o topo